.

 

A Cargill está empenhada em proteger as florestas e assegurar cadeias de abastecimento livres de desmatamento

As florestas são cruciais para a vida no planeta. Elas suportam quatro quintos da vida vegetal e animal terrestre e captura e armazena os gases do efeito estufa que contribuem para a mudança climática. As florestas também fornecem alimentos, água, combustível, medicamento e meios de subsistência para bilhões de pessoas.

A Cargill se comprometeu em reduzir e, em última análise, eliminar o desmatamento de nossas cadeias de fornecimento agrícola. Reconhecemos que as florestas e a agricultura são críticas para a criação de um futuro mais sustentável, e segurança alimentar.

A proteção das florestas no Brasil e na Bolívia
O compromisso da Cargill é para acabar com o desmatamento em nossas cadeias de fornecimento agrícola, reduzindo pela metade, até 2020 e eliminá-la até 2030. Trabalhamos ao lado de diversas organizações que compartilham nosso objetivo de acabar com desmatamento. Alguns são críticos, alguns são de apoio; mas em todos os casos, podemos nos beneficiar dessas interações.

Os relatórios recentes destacam alguns dos obstáculos nesta jornada, particularmente no Brasil e na Bolívia.

• No Brasil, temos visto grandes progressos como em nossa parceria para promover a Moratória da Soja na Amazônia por mais de uma década. Hoje, estamos trabalhando com mais de 15.000 agricultores de soja e colaborando com os governos, ONGs e parceiros para implementar o Código Florestal Brasileiro e promover a proteção da floresta. 

• Na Bolívia, estamos utilizando nossa experiência de outras regiões e avaliando nosso fornecimento para garantir que estamos alinhados com o nosso compromisso. Quando descobrimos um problema, vamos repará-lo.

Nosso trabalho sobre o desmatamento também está ligado aos nossos objetivos de aumentar a segurança alimentar e melhorar a subsistência do agricultor, por isso é que estamos sendo criteriosos sobre nossas abordagens e cronogramas. Nós estamos promovendo a sustentabilidade em parceria com os governos e os agricultores à medida que eles tomam decisões sobre como cuidar de suas terras. Enfrentar este desafio global requer ambição e pragmatismo, pois nós trabalhamos cada fazenda e cada hectare.

Conforme descrito em nosso Relatório da Cargill de 2017 sobre Florestas, temos um forte histórico de combate ao desmatamento. Em algumas cadeias de suprimentos, estamos no rumo certo para alcançar nosso objetivo final até 2020. Nós estamos pressionando com um foco em nutrir o mundo e proteger o planeta.

Nossas ações
A Cargill utiliza seu conhecimento como um dos maiores compradores mundiais de soja, óleo de palma e outras culturas para promover a agricultura sustentável. Trabalhamos com os agricultores, governos, organizações ambientalistas e membros das comunidades em que operamos para encontrar soluções práticas e escaláveis. Eis alguns dos nossos progressos até agora:

• Trabalhamos com The Nature Conservancy (TNC) desde 2004 para utilizar a tecnologia de satélite para monitorar e gerenciar o desmatamento ligado à nossa cadeia de suprimentos.

• Desde 2006, a Cargill tem parceria com a indústria e organizações ambientais para defender a Moratória da Soja Brasileira no Amazonas – um acordo voluntário de não comprar soja das terras no Bioma da Amazônia que foram desmatadas após Julho de 2006 – o que tem contribuído para o declínio de 80 por cento no desmatamento na Amazônia na última década. A Moratória foi prolongada indefinidamente em 2016.

• Nós trabalhamos no óleo de palma sustentável desde que nos unimos a Mesa Redonda sobre óleo de Palma Sustentável (RSPO) em 2004. Emitimos uma política de óleo de palma em 2014 para dar um passo adiante e eliminar qualquer fonte de óleo de palma da nossa cadeia de abastecimento que está ligada ao desmatamento de áreas ambientalmente sensíveis, incluindo turfeiras ou a exploração de comunidades indígenas. Divulgamos relatórios regulares do progresso de nossos esforços.

• Na Conferência sobre o Clima das Nações Unidas em 2014 nos comprometemos em reduzir e eventualmente acabar com o desmatamento em toda a nossa cadeia de fornecimento agrícola, com o objetivo de reduzir pela metade, até 2020 e terminá-lo completamente até 2030.

• Lançamos uma política global sobre florestas e planos de ação detalhados para a prioridade de cadeias de suprimentos em setembro de 2015 para compartilhar as ações que tomamos ao reduzir pela metade o desmatamento em nossas cadeias de abastecimento até 2020 e eliminá-lo em 2030. Isto inclui os princípios e uma abordagem para avaliar nossos fornecedores e nossos investimentos, com base em princípios de proteção da floresta.

• Lançamos nosso primeiro Relatório sobre as Florestas em janeiro de 2017 para descrever o progresso que fazemos com nossos planos de ação para proteger as florestas e promover o uso sustentável da terra em nossas cadeias de fornecimento de cacau, soja, óleo de palma, algodão, milho e embalagem baseada em fibra. O relatório abrange os desafios que enfrentamos e novas abordagens que podemos ter para manter o progresso, desde a construção de consenso em torno de definições e normas de medição até a coordenação dentro e em todos os setores para promover abordagens de paisagem sustentável.

Saiba mais

Relatório sobre Florestas de 2017 da Cargill

A Política sobre as Florestas da Cargill

Plano de Ação de Proteção de Floresta da Cargill

FAQ sobre Política Florestal

Política para Embalagem Sustentável baseada em Fibra da Cargill

Acesse Ending deforestation page

.